17 de mar de 2009

Callate y puja



É com muita tristeza e dor que assisti a este vídeo.
Pensei muito antes de publicá-lo e de fato não o fiz no blog Parto Humanizado. Mas aqui, onde o clima às vezes "pesa" mais, não me senti incomodada de fazê-lo.

Sempre discutimos se coisas como essas não assustam ainda mais as mulheres, mas hoje, quando o movimento pela Humanização do Nascimento atingiu uma escala maior e muita fonte de informação já está disponível (basta que procurem, muitas vezes), acredito que é importante que vejamos os fatos e como são violentos e ultrajantes. Mudança de paradigma não se faz de maneira suave, na prática.

Quando vejo partos como esse (e o que mais há na Internet é a divulgação desse tipo de coisa) e me lembro dos partos como o da parteira Mexicana Naolí Vinaver (disponível em vídeo), os das mulheres os quais tive o imenso prazer de ver compartilhados em listas de discussão de Parto Humanizado - onde as mulheres pariram sorrindo e gemendo mais de alegria que de dor, com seus parceiros, com seus filhos, em casa ou em hospital, mas com o apoio e carinho que merecem, lembro-me também de quanto já foi mudado no caminho que percorremos, mas, mais ainda, de quanto ainda temos que fazer.

Espero que em breve possamos ver partos e atendimentos neonatais como esse e pensar "que triste história do passado", mas com um sorriso feliz no rosto porque então as crianças nascem com dignidade.

Nenhum comentário: