14 de mar de 2009

Depoimento da Lila - Parto Humanizado Hospitalar, depois de já ter tido 2 partos vaginais com anestesia, episiotomia...

Tive a feliz surpresa de, ao abrir hoje minha caixa de msgs, encontrar este depoimento da Lila! A pedido dela, publico-o aqui no blog.
Parabéns, Lila, pela sua busca, pelo seu sucesso, e pelos filhotes!
Bart

--------------------------------------
LILA:
"Olá, tenho 35 anos e tive 2 filhos com 23 e 25 anos, através de parto normal, com epísio. Eu não conhecia o parto humanizado, não tinha idéia de que me cortariam, e então acreditei que fosse um procedimento de praxe. Os pontos após o parto doeram bastante, apesar da anestesia local, e depois, sentia muito desconforto durante as relações sexuais, por até 2 anos após cada parto. Há 3 meses tive meu terceiro filho no delivery room de um hospital. Posso afirmar que a preparação do meu corpo e da minha mente através do Yoga associada às caminhadas, e ainda, às informações dos sites XôEpisio (obrigada Bartira!), Amigas do Parto e do livro Parto Ativo (Janet Balaskas) foram primordiais para o desenrolar perfeito do nascimento do meu terceiro filho.

O parto:
Durante o trabalho de parto, eu caminhei o tempo todo e me agachava durante as contrações. Fiz uso da banheira de hidromassagem e chuveiro. Quando me senti fraca, tive que me deitar, pois estava zonza. Só que as dores eram terríveis na posição horizontal. Então me lembrei da dica do mel. Tomei cerca de 3 colheres de sopa e em 5 minutos estava reanimada. Incrível! Nem parecia que eu estive tão mal minutos antes! Era madrugada e, de repente, sabia que era “o” momento! A pressão entre as minhas pernas era enorme, eu sentia muita ardência. Coloquei a mão e percebi a cabeça do meu filho. Posicionei-me na cama, pendurei meu corpo na barra que havia sobre a minha cabeça, ficando de cócoras e comecei a fazer força. Como ardia! Dos outros dois filhos eu não senti nada porque levei anestesia local. Desta vez, foi tudo bem natural. Nada de soro, anestesia e regras, somente o meu instinto ditava a ordem dos acontecimentos. Após alguns gemidos e palavrões, senti a cabeça do meu filho sair de dentro de mim, e depois, o corpinho. Acho que só precisei fazer força cerca de 5 vezes. Foi muito rápido. Nicolas nasceu da maneira mais humana e natural que posso imaginar, 3 horas depois que cheguei ao hospital. Eram 03:08, ele media 50 cm, pesava 3180g, tinha 2 voltas de cordão umbilical no pescoço habilmente desfeitas no momento do nascimento e 9/10 Apgar. Muita saúde, uma beleza.

O pós-parto:
Logo após nascer, o médico colocou-o no meu colo. Meu filho mamou logo que nasceu e ficou comigo por uns 20 minutos. Só então a pediatra veio pesá-lo e medi-lo, tudo dentro do quarto. Ele não foi aspirado, a vitamina K foi administrada oralmente, mas não escapou do nitrato de prata nos olhinhos por ser norma do hospital. Enquanto eu eliminava a placenta, as outras pessoas trabalhavam na limpeza e organização do quarto, pois eu e o Nico ficaríamos ali até recebermos alta. Em poucos minutos o quarto, que antes parecia uma sala de parto, ficou com aparência de um aconchegante dormitório. Meu Nico ficou o tempo todo comigo. Meu corpo estava trêmulo e exausto, porém menos do que das outras vezes.

As conseqüências do parto:
Sofri uma pequena ruptura na direção do ânus, muito menor do que uma episiotomia, e as hemorróidas saltaram um pouquinho. Com 3 dias de parto fui ao shopping comprar soutien. Com 1 semana já usava jeans e nem sentia o corte! Com 1 mês e meio perdi os 14kg extras da gravidez e voltei ao meu peso normal, tinha relações sexuais sem o incômodo da cicatriz e a hemorróida já estava normal. Definitivamente, xô epísio, viva o parto humanizado, Amém ao parto ativo!

Nicolas nasceu há 3 meses e é uma bênção. Estamos todos apaixonados por ele. Só há uma palavra que define a sensação de ser mãe, novamente, aos 35 anos: SUBLIME."

Nenhum comentário: